foto user
jorge pimenta
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Paisagem Urbana/Espiral de não retorno
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Paisagem Urbana/Espiral de não retorno
voltar lista nav-leftnav-right

Espiral de não retorno

fotografias > 

Paisagem Urbana

2017-11-02 21:34:22
comentários (166) galardões descrição exif favorita de (212)
descrição
Quanto do que tive como certo se despenha desde um céu cansado, onde já nem as aves atrevem voo no pico das estações quentes? Quanto do que jurei definitivo adormeceu na autoestrada do rosto calcada pelas rodas do tempo? E por isso me questiono, por isso me procuro, mas a cada pergunta mais me desconheço. O opiário que habito escreve os sonhos com a sintaxe do veneno, gota sobre gota, tornando-os macilentos, com dedos magros, sem sangue ou água, à beirinha de um crime sem remissão.
Por que razão olho para o lado, se nem Deus me diz quem sou ou saberá quem fui? Por que razão procuro, se, no instante em que adormecer, o dia dormirá também, para depois voltar a nascer, indiferente a tudo o que passa?...

Londres, abril de 2017
exif / informação técnica
Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D750
Exposição: 1/60 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/5.6
ISO: 250
Dist.Focal: 14mm
Dist.Focal (35mm): 14 mm
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)

favorita de 212
galardões
  • galardão a nossa escolha
    a nossa
    escolha
  • galardão comentários
    125
    comentários
  • galardão partilhas
    partilhas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador
  • galardão curador
    curador
Espiral de não retorno
Quanto do que tive como certo se despenha desde um céu cansado, onde já nem as aves atrevem voo no pico das estações quentes? Quanto do que jurei definitivo adormeceu na autoestrada do rosto calcada pelas rodas do tempo? E por isso me questiono, por isso me procuro, mas a cada pergunta mais me desconheço. O opiário que habito escreve os sonhos com a sintaxe do veneno, gota sobre gota, tornando-os macilentos, com dedos magros, sem sangue ou água, à beirinha de um crime sem remissão.
Por que razão olho para o lado, se nem Deus me diz quem sou ou saberá quem fui? Por que razão procuro, se, no instante em que adormecer, o dia dormirá também, para depois voltar a nascer, indiferente a tudo o que passa?...

Londres, abril de 2017
comentários
galardões
  • galardão a nossa escolha
    a nossa
    escolha
  • galardão comentários
    125
    comentários
  • galardão partilhas
    partilhas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador

Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D750
Exposição: 1/60 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/5.6
ISO: 250
Dist.Focal: 14mm
Dist.Focal (35mm): 14 mm
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)


favorita de (212)