foto user
Humberto Machado
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Paisagem Urbana/Interior da Igreja da Pampulha
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Paisagem Urbana/Interior da Igreja da Pampulha
voltar lista nav-leftnav-right

Interior da Igreja da Pampulha

fotografias > 

Paisagem Urbana

2008-05-13 11:36:35
comentários (7) galardões descrição exif favorita de (4)
descrição
A Igreja São Francisco de Assis, também conhecida como Igreja da Pampulha, localizada nas margens da Lagoa da Pampulha em Belo Horizonte-MG, foi concebida pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

O projeto, com suas linhas arrojadas, é considerado um marco da arquitetura moderna brasileira - se tendo tornado um importante símbolo da capital do Estado.

A construção, terminada em 1945, começou a ser restaurada nos primeiros meses de 2005 visando recuperar, principalmente, rachaduras e infiltrações na cobertura (telhado) - abóbadas parabólicas cobertas por milhares de pastilhas cerâmicas.

Decorando o exterior da Igreja há na fachada um Painel de Azulejos, em tons azuis, de autoria de Cândido Portinari (1903-1962), evocativo à São Francisco de Assis, o Santo protetor dos animais.

No interior - confessionário, batistério, coro, púlpito e nas bancadas laterais - existem outros Painéis de Azulejos criados por Portinari.

Observamos que nas laterais da Igreja, fazendo parte do telhado, há Painéis de Pastilhas, abstratos, do artista Paulo Werneck (1907-1987), autor de inúmeros outros trabalhos semelhantes, principalmente na cidade do Rio de Janeiro-RJ.

Os jardins que circundam a Igreja foram projetados por Burle Marx (1909-1994).

Uma ocorrência inusitada aconteceu após o término da construção. As autoridades eclesiásticas não permitiram, durante muitos anos, a consagração da Igreja, porque chocadas pela forma nada ortodoxa da construção, bem como contrariadas pelos desenhos, com temas religiosos, do pintor modernista Portinari.
exif / informação técnica
Maquina: OLYMPUS IMAGING CORP.
Modelo: E-500
Exposição: 1/100
Abertura: 40/10
ISO: 640
MeteringMode: 5
Flash: 8
Dist.Focal: 18/1

Não é permitido registar fotograficamente o interior de alguns monumentos no Brasil, no entanto nesta fotografia não foi utilizadado flash. A forma desta construção e a sua singularidade constituiram o motivo do registo.
favorita de 4
galardões
  • galardão visitas
    1000
    visitas
Interior da Igreja da Pampulha
A Igreja São Francisco de Assis, também conhecida como Igreja da Pampulha, localizada nas margens da Lagoa da Pampulha em Belo Horizonte-MG, foi concebida pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

O projeto, com suas linhas arrojadas, é considerado um marco da arquitetura moderna brasileira - se tendo tornado um importante símbolo da capital do Estado.

A construção, terminada em 1945, começou a ser restaurada nos primeiros meses de 2005 visando recuperar, principalmente, rachaduras e infiltrações na cobertura (telhado) - abóbadas parabólicas cobertas por milhares de pastilhas cerâmicas.

Decorando o exterior da Igreja há na fachada um Painel de Azulejos, em tons azuis, de autoria de Cândido Portinari (1903-1962), evocativo à São Francisco de Assis, o Santo protetor dos animais.

No interior - confessionário, batistério, coro, púlpito e nas bancadas laterais - existem outros Painéis de Azulejos criados por Portinari.

Observamos que nas laterais da Igreja, fazendo parte do telhado, há Painéis de Pastilhas, abstratos, do artista Paulo Werneck (1907-1987), autor de inúmeros outros trabalhos semelhantes, principalmente na cidade do Rio de Janeiro-RJ.

Os jardins que circundam a Igreja foram projetados por Burle Marx (1909-1994).

Uma ocorrência inusitada aconteceu após o término da construção. As autoridades eclesiásticas não permitiram, durante muitos anos, a consagração da Igreja, porque chocadas pela forma nada ortodoxa da construção, bem como contrariadas pelos desenhos, com temas religiosos, do pintor modernista Portinari.
comentários
Maquina: OLYMPUS IMAGING CORP.
Modelo: E-500
Exposição: 1/100
Abertura: 40/10
ISO: 640
MeteringMode: 5
Flash: 8
Dist.Focal: 18/1

Não é permitido registar fotograficamente o interior de alguns monumentos no Brasil, no entanto nesta fotografia não foi utilizadado flash. A forma desta construção e a sua singularidade constituiram o motivo do registo.