foto user
Sofy Sá
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Gentes e Locais/Outra Margem de Mim...
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Gentes e Locais/Outra Margem de Mim...
voltar lista nav-leftnav-right

Outra Margem de Mim...

fotografias > 

Gentes e Locais

2008-05-05 14:07:36
comentários (77) galardões descrição exif favorita de (29)
descrição
É muito tempo a desejar o tempo,
De mudar ventos, levantar marés,
É muita vida a desejar o alento,
Que faz saber ao certo quem és...
É funda a toca onde te escondes tanto,
Tem a distância entre o silêncio e a voz,
A vida rasga bocadinhos gastos do mundo,
Vai descascando até chegar a nós...
Tu que sabes tanto de mim,
Tu que sentes quem eu sou,
Dá-me o teu corpo como ponte que me salva,
Do que o medo fechou...
São muitos dias a perder em vão,
Sem nunca entrar dentro de um labirinto,
É muita vida a não ser o que tu sentes,
A planar sobre o que eu sinto...
É quase noite, não te escondas mais,
Vai desatando até entrar o ar,
Dá-me um gesto que me diga o teu fundo,
Uma palavra para te tocar...
Tu que sabes tanto do sol...
E és uma de outra margem de mim...
Olha-me dentro como chão que me agarre,
Pode ser esta noite quente,
A estrada aberta mesmo à nossa frente,
A tu e eu a descobrir o ar,
Não é preciso correr...
Não é urgente chegar...
O que é preciso é viver!

Mafalda Veiga
exif / informação técnica
Sem informações de EXIF
favorita de 29
galardões
Esta foto não tem galardões
Outra Margem de Mim...
É muito tempo a desejar o tempo,
De mudar ventos, levantar marés,
É muita vida a desejar o alento,
Que faz saber ao certo quem és...
É funda a toca onde te escondes tanto,
Tem a distância entre o silêncio e a voz,
A vida rasga bocadinhos gastos do mundo,
Vai descascando até chegar a nós...
Tu que sabes tanto de mim,
Tu que sentes quem eu sou,
Dá-me o teu corpo como ponte que me salva,
Do que o medo fechou...
São muitos dias a perder em vão,
Sem nunca entrar dentro de um labirinto,
É muita vida a não ser o que tu sentes,
A planar sobre o que eu sinto...
É quase noite, não te escondas mais,
Vai desatando até entrar o ar,
Dá-me um gesto que me diga o teu fundo,
Uma palavra para te tocar...
Tu que sabes tanto do sol...
E és uma de outra margem de mim...
Olha-me dentro como chão que me agarre,
Pode ser esta noite quente,
A estrada aberta mesmo à nossa frente,
A tu e eu a descobrir o ar,
Não é preciso correr...
Não é urgente chegar...
O que é preciso é viver!

Mafalda Veiga
comentários
galardões
Esta foto não tem galardões

Sem informações de EXIF

favorita de (29)